quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Doces Natalícios pela Associação Portuguesa de Nutricionistas

Para festejar o Natal de 2011, a APN lança um e-book de receitas de doçaria de Natal. Todavia, não é um livro de receitas tradicional. Faça download do e-book e descubra porquê aqui

domingo, 11 de dezembro de 2011

Produtos à base de soja devem ser encarados como qualquer outro produto alimentar processado ou com maior preocupação ainda

Os alimentos saudáveis são os que estão mais próximos da natureza e raramente são publicitados. Suspeite dos interesses económicos à volta da divulgação em massa de um determinado produto alimentar ou, principalmente, dos processados feitos a partir de um produto alimentar densamente publicitado. A soja é uma das principais evidências.

Prestem atenção: http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/12/08/the-dirty-little-secret-hidden-in-much-of-your-health-food.aspx

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Dia Mundial da Diabetes

O Dia Mundial da Alimentação foi criado com a intensão de sensibilizar a população para aimportânica de adquirir um estilo de vida saudável, como principal medida de prevenção da Diabetes Mellitus tipo 2. Para celebrar o este dia foram vários os eventos a nível mundial.
A Associação Portuguesa de Nutricionistas lançou um e-book, que é só descarregar e utilizar.
Saúde a todos!

domingo, 16 de outubro de 2011

Dia Mundial da Alimentação 2011

O Dia Mundial da Alimentação chama-nos, a nós que vivemos na abundância alimentar, a reflectir sobre o que escolhemos para comer sobre pena de os excessos alimentares se traduzirem na cronicidade das doenças da moda.
Mundialmente, o 16 de outubro é um dia de reflexão sobre a escassez dos alimentos. Este ano, a reflexão assenta no preço dos alimentos e da necessidade (humana) de estabilidade no preço global dos alimentos, por forma a que estes cheguem a todos de acordo com as suas necessidades.

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Super-obesidade, a realidade de Diana. Ou a obesidade como reflexo da meríade de emoções contidas

Vou chamar-lhe Diana, deusa guerreira grega, para manter o anonimato que a exposição de uma situação real exige.
Conheço a Diana desde os seus 13 anos de idade, há 7 anos, já que está nos seus 20. Desde sempre a tocar os 100kg no seu corpo de 1,6m. Sempre com um excesso excessivo de peso. 
Em criança, Diana vinha à consulta com a mãe, senhora preocupada e empenhada em ajudar a filha. Porém, consulta após consulta de nutrição a Diana insistia em manter o peso. Ora subia um pouco os quilos, ora descia. Na média estava nos 100kg. Mudou de escola e a adaptação à mudança fez com que chegasse aos 114 kg. Com esforço lá os diminuiu de novo. Chegou o estágio e lá subiram de novo os quilos. Agora teimam em não descer e aparecem os 115, os 120... Depois de todos os despistes bioquímicos para perceber porque motivos o peso de Diana teima em não descer, confrontei Diana e disse-lhe (mais do que uma vez, mais do que numa consulta): qual a parte do plano alimentar que não cumpres? O que comes a mais? Quando comes?! Imaculadas, as respostas de Diana não me davam quaisquer pistas. Dificil encontrar a ponta de uma linha por onde começa a desfazer todo aquele novelo. Propus o diário alimentar. Diana apareceu com folhas imaculadas, com registos de consumos alimentares inferiores aos prescritos. Estaríamos perante um milagre semelhante ao do santo Benedito?! Aquele que nada comia e estava sempre gordito?!
Insucesso. Estava perante um caso de insucesso! O que fazer?! "Devolver" ao seu médico de família?! "Devolver" a ela própria e a todos os riscos que esta super-obesidade acarrecta?! Esperar que seja ela mesma a desisitir?!
Gosto de falar com as psicólogas com as quais me cruzo em trabalho e amizade. Aprendo com elas a melhor abordagem a cada pessoa. A necessidade que temos de os escutar activamente e o dificil exercicio de abandonar aquilo que são os nossos registos para entrar na linguagem do outro, por forma a que a mensagem passe da melhor forma. Não estava a conseguir fazê-lo com Diana. Abandonar nestas situações? Uma psicóloga uma vez disse-me: o nosso tempo clínico por vezes não é o tempo de mudança das pessoas. Temos que aceitar e aguardar que ele chegue, se chegar. Sim, porque nisto da nutrição é fundamental a entrega do próprio!
Na consulta de Maio fui impossibilitada de fazer a consulta de Diana, por ter sido chamada para uma reunião em cima da hora. Entre andiar as consultas uns 4 meses e ter o apoio de uma colega, optei pelo apoio da colega. (Nem sempre é bem aceita a mudança do nutricionista, principalemente quando já há um conhecimento de longa data).
Assim, desde Fevereiro, reencontrei hoje Diana. Aborrecida por não ter sido eu fazer a consulta de Maio. Cansada do seu peso. Consciente que tinha aumentado, 125 quilos hoje. Culpou o plano alimentar. Já não lhe serve! Não lhe serve?! O melhor será colocar um balão gástrico, assume Diana o papel do clínico com esta afirmação. É honesta e refere que o plano alimentar "não lhe chega" para satisfazer as angústias. Sim, está com problemas no trabalho e a comida é o seu melhor amigo! Diana começou a chorar! Finalmente, pensei! Finalmente desbloquemos esta "obesidade emocional". Diana chora e, aos poucos vai mais longe. Como é que a comida se torna o seu melhor amigo?! Humm, não é a comida o melhor amigo, esse chama-se apetite e a comida é a forma que encontra de falar com ele. Ah! Diana acrescenta ser reservada, não anda para aí a falar com todos. E que episódios se lembra da necessidade de falar e não o fazer? Ah, sim, o estágio e a mudança de escola. E mais, episódios mais antigos? Entre lágrimas e não seis, de mãos dadas, lá recuamos mais uns anos, chegamos à infãncia e à morte da avó. Gostava da avó e ela morreu. Diana comeu como forma de sublimar a dor. O seu pai optou por beber e isso fez com que Diana continuasse a comer, mais e mais. Tudo por bem, diz ela, tudo porque queria ver o pai feliz e se ela estivesse feliz seria também mais fácil para o pai ficar feliz. E conseguiu! O pai recuperou e Diana engordou!
Finalmente cansou-se, esgotou-se deste padrão de comportamento e hoje foi como se tivesse sido a 1ª consulta nutrição de Diana, após 7 anos de investigação! 
Então vamos lá ajudar Diana com a especialidade que necessita e considerar a colocação do balão para a motivar e acelarar o processo de libertação de todos os seus quilos. Ela sabe quantos deseja ter. São 75 kg! E vai conseguir!

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Nutracêuticos com efeitos irreversíveis no metabolismo

A esmagadora maioria da população já se automedicou com suplementos alimentares e nutracêuticos, tais como vitaminas, laxantes, diuréticos, drenantes, sais minerais, produtos para emagrecer, entre outros. Estes, se por um lado, auxiliam na compensação de dietas pobres ou na minimização de deficiências metabólicas; por outro, o seu uso frequente pode não ser o mais adequado, podendo até provocar efeitos irreversíveis no organismo.

O livro «Nutracêuticos e Alimentos Funcionais» – disponível desde ontem nos escaparates, sob a chancela da Lidel-Edições Técnicas –, que conta com a coordenação de João F. Pinto, daFaculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa (FFUL), alerta para as repercussões que decorrem do uso abusivo destas substâncias, bem como para a falta de controlo dos produtos.



Continuar a ler...

domingo, 3 de julho de 2011

domingo, 17 de abril de 2011

Dez passos para o tratamento do Excesso de Peso e Obesidade nos Cuidados de Saúde Primários

3 Avalie outras situações que o colocam em risco


Fuma?
Mesmo que só de vez em quando, já sabe, já prejudica!


Como está a sua tensão arterial?
Valores de pressão sistólica superiores a 140mmHg e/ou diastólica acima de 90mmHg são já sinais de alerta

Conhece os valores do seu "mau" colesterol (LDL)?
Valores acima de 130 mg/dl? Estão na ora de baixar se não quer sentir as suas artérias coronárias "entupidas"!


E do "bom" colesterol (HDL)?
Este protege! Por isso desejamos obter valores superiores a 60mg/dl

E os triglicerídeos? Essa outra gordura que também circula no sangue!
Valores superiores a 150mg vão dar muito trabalho ao meu fígado e a probabilidade de desenvolver diabetes aumenta


Já verificou os valores da sua glicose em jejum?
A Diabetes Mellitus é uma doença muito provável quando o peso está aumentado. Antes da doença existir, os primeiros sinais poderão ser valores de glicose em jejum entre 110-120mg/dl. Esteja atento!

No que respeita à saúde do coração, qual a história da sua família?


Pratica actividade física?

Se é homem e tem mais de 45 anos ou se é mulher e tem mais de 55 anos, procure as suas respostas a cada uma destas perguntas.

Se tem peso a mais, uma cintura com medidas acima do recomendado e algum outro destes factores, a sua saúde está a gritar por ajuda.

Encontre o seu peso saudável!



terça-feira, 5 de abril de 2011

Dez passos para o tratamento do Excesso de Peso e Obesidade nos Cuidados de Saúde Primários

1 Calcule o seu Índice de Massa Corporal (IMC)

IMC=                                Peso (kg)
                                   Altura (m)xAltura (m)BMI



Classificação do IMC
Baixo Peso <18.5 kg/m2
Peso Normal 18.5–24.9 kg/m
Excesso de Peso 25–29.9 kg/m2
Obesidade (Class1 1) 30–34.9 kg/m2
Obesidade(Class2 2) 35–39.9 kg/m2
Obesidade extrema (Classe 3) ≥40 kg/m2

Exemplo:

IMC=         61 kg     =   61 =  25,7 kg/m2
           1,54mx1,54m    2,37


Classificação = Excesso de Peso

Fonte:OMS

quarta-feira, 30 de março de 2011

Síndroma da Fome Oculta

A síndrome da fome oculta é uma carência nutricional, que ocorre devido ao reduzido consumo ou mau aproveitamento dos nutrientes pelo organismo. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) uma em cada quatro pessoas sofre desta síndrome.

Com o estilo de vida atual, há uma grande probabilidade de desenvolver este quadro, pois cada vez mais opta-se por refeições rápidas do tipo fast food, alimentos congelados e industrializados, que são ricos em gorduras e pobres em micronutrientes. Dificilmente consome-se as quantidades adequadas de frutas, verduras e legumes, alimentos que fornecem nutrientes importantes, para o bom funcionamento do organismo, como fibras, vitaminas e minerais. 

Trata-se de uma síndrome silenciosa, pois muitas vezes os sinais não são percebidos e as pessoas só começam a desconfiar que alguma coisa está errada quando uma deficiência grave ou uma patologia já se encontra instalada. Os sintomas mais comuns são: pele opaca, rugas, flacidez, cabelo sem brilho, queda dos fios, unhas manchadas e quebradiças, desânimo, câimbras, dificuldade de concentração, dentre outros. 

O que muitos não sabem é que a fome oculta pode promover aumento de peso, bem como dificultar o emagrecimento. Isso ocorre, pois o organismo percebe a carência de vitaminas e minerais e a fim de recuperar o equilíbrio envia sinais para o cérebro estimular a fome. O cérebro por sua vez envia tais sinais, para que possamos consumir alimentos e fornecer estes nutrientes que se encontram deficientes. Ao sentir fome, normalmente, consumimos lanches rápidos com alimentos ricos em carboidratos e açúcares, porém pobres em vitaminas e minerais. Com isso, o quadro de deficiência é mantido e em pouco tempo o cérebro irá enviar novamente sinais de fome para obter estes nutrientes, com isso aumenta-se a ingestão calórica e acarretar-se ganho de peso. 

É importante lembrar que precisamos ter um organismo apto para a absorção de vitaminas e minerais, assim é preciso tratar uma possível disbiose. Disbiose é quando temos um aumento no número de parasitas, fungos e bactérias patogênicas no intestino em detrimento de bactérias probióticas. Esse quadro prejudica o processo de absorção de nutrientes já que muitas vezes esses oportunistas usam os nutrientes para seu próprio crescimento. Além disso, devemos evitar o consumo associado de alimentos que possam atrapalhar a absorção de vitaminas e minerais, alguns exemplos são: medicamentos antiácidos, café, refrigerantes e alguns tipos de chás.

Para identificar a síndrome da fome oculta é importante procurar um nutricionista em consultório que através de anamnese alimentar, histórico alimentar, exames bioquímicos, questionário de sinais e sintomas, poderá identificar quais nutrientes se encontram deficientes. Depois o profissional irá elaborar um cardápio balanceado para fornecer tais nutrientes e avaliará a necessidade de suplementação. 

Fonte: Thais Souza - Nutricionista da Rede Mundo Verde